quinta-feira, 30 de junho de 2016

Seleção de futebol feminino intensifica treinos

Seleção já conquistou duas medalhas de prata em Olimpíadas e agora vai em busca do ouro
A seleção brasileira de futebol feminino está na reta final de preparação para os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Agora, os treinamentos foram intensificados com a criação de uma seleção permanente, com atletas que se dedicam exclusivamente à equipe nacional.
Contudo, 16 jogadoras, que também estão escaladas em times fora do País, ainda não foram liberadas pelos clubes para se juntar à seleção, o que só deve ocorrer às vésperas do início dos Jogos. 
“É claro que se a equipe estivesse treinando completa, seria mais confortável. De qualquer forma, nossas atletas estão evoluídas e entrosadas, mesmo as que não estão na seleção permanente”, afirma o técnico Vadão. “Temos padrão de jogo, estamos treinados nos quesitos de variações táticas, bola parada, jogadas ensaiadas. Vai faltar só a lapidação final, que faremos na data possível, com todas reunidas. Tudo para buscar esse ouro”, completa.
Com relação aos treinamentos técnicos e táticos, Vadão explica que existe, de fato, uma grande diferença entre o futebol feminino e o masculino. “Dentro de campo, alguns aspectos precisam ser adaptados nos treinos. São raras as jogadoras, por exemplo, que conseguem fazer um lançamento mais longo, virar o jogo num cruzamento, porque a mulher não bate na bola com tanta força. Então esse tipo de jogada precisa ser adaptado”, explica.
Sobre as jogadas aéreas, por exemplo, usadas estrategicamente contra o Brasil por conta da altura das brasileiras, a defesa é toda envolvida tecnicamente para compor uma linha mais alta na tentativa de evitar o gol adversário. A intenção do treinador é que uma bola nunca seja disputada na pequena área.
Já no plano tático, Vadão afirma que as meninas são mais determinadas que os homens. “Isso porque um moleque já cresce orientado para o futebol. Ele faz escolinha, joga em clube, tem lastro de boleiro. As mulheres só conseguem essa orientação, basicamente, na fase pré-adulta. Então elas se disciplinam para absorver o máximo de conhecimento”, argumenta o professor.
Seleção permanente
A seleção feminina permanente foi criada no início de 2015. As atletas convocadas desligaram-se de seus clubes e foram contratadas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para se dedicar exclusivamente à equipe nacional.
No centro de treinamento, jogadoras contam com campos, academia, alojamento, refeitório, equipe integral de médicos, fisioterapeutas, psicólogos, fisiologistas e salário mensal em uma área de 140 mil metros quadrados.
A equipe já conquistou duas medalhas olímpicas de prata em Atenas (2004) e Pequim (2008), ambas em derrotas para os Estados Unidos. 
“Eu não tenho dúvida de que essa seleção tem condições de brigar por medalha. Não à toa que muitas das nossas atletas estão sendo contratadas por clubes de diversos países”, afirma Vadão. “Nós sabemos que é difícil porque serão as 12 melhores seleções do mundo. Todas querem vencer. Mas estamos confiantes e bem preparados para essa Olimpíada”, concluiu Vadão.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Esporte

Flamengo conquista o Brasileiro Feminino 2016





Pela primeira vez em sua história, o Flamengo conquistou o título do Brasileiro Feminino. Após perder para o Rio Preto por 1 a 0, no jogo de ida, no Rio de Janeiro, o time carioca reverteu o duelo decisivo, nesta sexta-feira (20), às 19h, ao vencer as atuais campeãs por 2 a 1, no estádio Anísio Haddad, em São José do Rio Preto (SP). As rubro-negras se sagram campeãs, graças ao critério de desempate dos gols qualificados marcados fora de casa (2 a 1).



A finalíssima entre Rio Preto e Flamengo começou a mil por hora. Com um pênalti para cada lado no início da partida, o placar do jogo de volta já marcava 1 a 1, com apenas 10 minutos de disputa. Após ver a vantagem do gol marcado fora de casa, no Rio de Janeiro, escapar com a penalidade convertida pela rubro-negra Larissa, as mandantes reagiram na mesma moeda e deixaram tudo igual com a zagueira Simeia. Retrato do equilíbrio entre as duas equipes, o marcador se manteve empatado até os 43 minutos do primeiro tempo, quando, em boa trama ofensiva, o Flamengo voltou a liderar. Atenta, Gaby mostrou oportunismo, aproveitou o rebote da goleira Luciana e fez 2 a 1.
A tensão aumentou na volta do intervalo. Jogando diante de sua torcida e correndo contra o tempo, o Rio Preto tentou pressionar desde o reinício da partida. Pelo lado das visitantes, as jogadoras do Flamengo, com muita entrega e dedicação na marcação, apostavam nos contra-ataques para ampliar a vantagem e conquistar o título inédito. Segurando a pressão até o fim, o Flamengo desperdiçou a chance de matar a partida, aos 44 minutos, em contra-golpe da artilheira Larissa, mas confirmou o triunfo por 2 a 1, fora de casa, e ficou com o troféu do Brasileiro Feminino 2016.

fonte cbf





sexta-feira, 24 de junho de 2016

Sub-20 Feminina convocada para fase de treinos



O técnico Doriva Bueno, da Seleção Feminina Sub-20, anunciou a lista com 24 jogadoras convocadas para a quinta fase de preparação do Mundial que ocorrerá na Papua-Nova Guiné, entre os dias 13 de novembro e 3 de dezembro. Os treinos serão realizados no Centro de Treinamento João Havelange, em Pinheiral (RJ), de 27 de junho a 9 de julho.
Confira a lista das jogadoras convocadas:
Goleiras
Lorena da Silva Leite – A.D. Centro Olímpico
Carla Maria da Silva – A.D. Centro Olímpico
Stefane Pereira Rosa – Team Chicago Brasil
Zagueiras
Beatriz Ferreira de Menezes – A.D. Centro Olímpico
Giovana Maia Ferreira Cruz – Guarani F.C.
Daiane Limeira Santos Silva – Rio Preto F.C.
Luana Sartório Menegardo – Ferroviária S/A
Laterais
Bruna Rafagnin Calderan – Iranduba
Stephanie Renee Tomaszewski de Magalhães – Cal Poly University
Yasmin Assis Ribeiro – São José E.C.
Volantes
Julia Bianchi – Ferroviária S/A
Fernanda Palermo Licen – C.R. Flamengo/Marinha
Katrine da Silva Costa – Corinthians
Nicoly Aprigio da Silva – Ferroviária S/A
Brena Carolina Vianna de Oliveira – A.D. Centro Olímpico
Larissa Amaral Nepomuceno - Iranduba
Meias
Adriana Leal da Silva – Rio Preto F.C.
Gabriela Nunes da Silva – Corinthians
Milena Bispo Silva – E.C. Vitória
Lais dos Santos Araújo – ASA College/Nova York
Atacantes
Adailma Aparecida da Silva dos Santos – Associação Chapecoense de Futebol
Geyse da Silva Ferreira – A.D. Centro Olímpico
Victoria Kristine Albuquerque de Miranda – Minas ICESP/DF
Kelen Bender - Iranduba

Fonte: http://www.cbf.com.br/noticias/selecao-base-feminina/sub-20-feminina-convocada-para-fase-de-treinos#.V20cQxgrLbg

terça-feira, 21 de junho de 2016

Mixto Feminino forma novas atletas para o Brasil

O Futebol Feminino do Mixto Esporte Clube,  começa a despontar como um grande celeiro de craques do Brasil, este ano já conseguiu em uma parceria,  colocar duas atletas na equipe do Criciúma, e  recentemente teve mais uma atleta que seguiu para o Rio de Janeiro e está hoje fazendo parte da equipe do Duque de Caxias.

O Futebol feminino do Mixto hoje conta com uma parceria da Ameco,  e é a única do estado que possui um trabalho de base para o Futebol Feminino. Apesar de todas as dificuldades o professor Celso Nunes continua a sua labuta para formar novas atletas.
As próximas competições que o futebol feminino estará participando é a Copa Morena, que acontecerá provavelmente em julho na cidade de Campo Grande Mato Grosso do Sul, e a Copa Zulmira Canavarros que será organizada pela Ameco no mês de Agosto  em Cuiabá.
                                                   Goleira Lorrainy Nunes 



                                                  Atletas Joyce  e Samantha